O que é impressão fine art de fotografia ?

O que comumente é chamado de impressão fine art, é a impressão por jato de tinta feita numa impressora high end, essa tinta é a base de pigmentos e não corantes que são instáveis. Ao mesmo tempo são usados papeis especiais de grande resposta tonal e com material inerte que não afeta a impressão nem a sua cor de base ao longo de grandes períodos de tempo. Também é conhecida como impressão Giclée, palavra derivada do francês "gicleur", que significa espirrar, e que foi cunhada pelo printer americano Jack Duganne. 

 

A escolha do papel

Fonte: January 13, 2009 by Michael Reichmann - luminous-landscape.com

Matte vs Brilhante

Qualquer pessoa com uma base fotográfica que inclua o trabalho no laboratório químico sabe que estamos agora, em muitos aspectos, na era de ouro da impressão. Temos uma gama de escolhas de papel para além dos sonhos de uma geração anterior de fotógrafos. Os dois principais grupamentos são os papéis mate e os chamados papéis fotográficos.

 

Os papéis mate são baseados em ambos os alfa celulose (fibras de madeira) ou fibras de algodão. Seu apelo reside no seu "look" e no “sentir". Esses papéis são semelhantes aos utilizados em vários processos de arte não fotográfica fina e, como tal, têm textura e experiência tátil.

 

A linha inferior é que, nos últimos 10 anos temos tido a escolha de papéis mate com sua sensibilidade tátil atraente, mas olhar subjugado, com reduzida gama de cores e menor Dmax (preto máximo). E papéis fotográficos de base plástica com sua Dmax superior e paleta mais saturadas, mas menos atraente ao tato.

Este é o problema que a indústria de papel tem tentado resolver nos últimos anos. Produzir um papel otimizado para a última geração de tintas pigmentadas, que ofereça um peso adequado e superfície lisa, acompanhado de um elevado grau de refletividade, alta DMax, e ampla gama de cores.

 

Mais recentemente foram introduzidos papéis fotográficos de base não plástica. Estes papéis podem ser de alpha celulose (celulose protegida contra degradação química) ou de algodão. Eles não possuem agentes branqueadores como os de base plástica, responsáveis, em parte, pela deterioração da imagem ao longo do tempo.

Nessa linha temos os Baryta e os de fibra de algodão como o Platine, que não são de alto brilho (high gloss), mas também não são mate, o que diminuiria a performance de gama de cores e intensidade máxima do preto (DMax). São papéis de alto desempenho, sem aquele brilho excessivo, que incomoda a muitos.